2006/03/19

Sobre as manifestações de estudantes em Paris

Há quem, (muito) mais à direita, não tenha mais o que fazer do que inquirir pelo conteúdo dos blogues de esquerda. Embora eu não seja um dos inquiridos, aproveito para acrescentar algo à propaganda do AAA, que se limita a acusar a extrema-esquerda dos distúrbios nas universidades em Paris: ele que leia esta nota que evidencia a prisão de militantes de extrema-direita nas manifestações do Quartier Latin. Mas estas notícias não se lêem no Insurgente.
Já agora aproveito para acrescentar: embora haja sempre excessos que são de condenar - e não é aceitável, por exemplo, que um investigador não possa ter acesso ao seu local de trabalho por este se encontrar tomado por estudantes, como sucedeu em algumas universidades de Paris, não se pode tomar a árvore pela floresta (algo habitual na demagógica direita blogosférica). As manifestações decorreram sem problemas e foram um sucesso, e a verdade é que sete em cada dez franceses afirmam-se contra o projecto-lei do Contrato de Primeiro Emprego que Villepin impôs sem qualquer discussão.

A ler ainda: Pais orgulhosos, e por vezes solidários. Isto é o que eu mais gosto na França.

3 comentários:

Mais Notas Soltas disse...

Caramba! Mas você acha que o Liberation, agora, também publica notícias? Isso é novidade!

Manuel Resende disse...

Máquina zero: não foi só o Libération que divulgou esse facto. A polícia também.

Não convém assobiar para o lado nem cuspir contra o vento.

Obrigado ao Filipe por ter salientado este aspecto, que não vi referido na imprensa portuguesa.

E mais: as escaramuças que se verificaram ao fim das manifestações entre uma pequena franja de manifestantes e a polícia não podem fazer-nos esquecer a organização democrática do próprio movimento e o seu profundo e amplo eco na sociedade.

Emiéle disse...

Até que enfim, Filipe. Tenho vindo ao teu blog desde o início destes acontecimentos e já estava a estranhar que não dissesses nada, ainda. Tenho lido jornais, é certo, mas é diferente saber o que se passa por alguém daí. Há uma blogger, a Helena Romão, que eu tenho lido porque tem feito um relato bastante vivido. Porque por cá vemos o que o Telejornal nos quer mostrar, e naturalmente que é o mais “vistoso” as famosas arruaças.
Ainda bem que agora falaste.