2006/03/03

O capital e o consumo

André, é evidente que os comerciantes podem decidir vender os bens de consumo aos preços que bem lhes apeteça. Não quer dizer que o façam sempre, mas tal ocorre frequentemente em situações de monopólio ou quase, que devem revoltar especialmente um liberal. É um caso extremo, mas eu não o apresentei como geral.
De qualquer maneira o caso com que contrapões, o dos consumidores que estabelecem os preços dos bens de consumo que variam conforme as suas conveniências», também é outro caso extremo. Se acreditas que é isso que se passa correntemente, em todas as transacções, então sou eu que fico com vontade de rir... Um consumidor isolado pode estabelecer uma flutuação no preço, que vem à priori e não resulta simplesmente da vontade do mercado. Havemos de voltar a este assunto.

1 comentário:

Musas Esqueleticas disse...

Não será a lei da oferta e da procura nos bens que os comerciantes vendem? Mas neste jardim na orla do mar não se passa o mesmo com os telefones, água, electricidade, medicamentos. Basta comparar preços com os de Espanha, de resto em tudo.