2006/03/13

O espectro do Espectro

Exactamente no dia em que igualou o Abrupto em número de visitas, acabou o Espectro (neste momento, graças à "novidade" do encerramento do blogue, consumou-se a ultrapassagem). As motivações de Vasco Pulido Valente para se ter lançado, com Constança Cunha e Sá, nesta aventura blogosférica devem com isto ficar bem evidentes. O que fica para a posteridade? Nada de muito diferente do estilo habitual de Vasco Pulido Valente, que os seus leitores habituais, como eu, já conheciam. Quero no entanto destacar três textos: o texto inicial, onde VPV sumariza os seus escassos meses como deputado em 1995-96; o "arrasar" (com licença de Pacheco Pereira para o verbo) de Clara Ferreira Alves (um texto que ainda vai dar muito que falar); e Liberdade Académica, onde se consagra de vez um estilo blogosférico com a frase (que todos julgávamos impossível vinda de quem vem) "Espero que o João Miranda concorde." Espero que o João Miranda concorde.

5 comentários:

Ana Miranda disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Ana Miranda disse...

Ora viva, sê bem vindo, seu doido! Porque demoraste tanto tempo a abrir um boteco? Tsc Tsc! Por falar no "Espectro", confesso ter-me juntado ao ávido grupo de leitores que entrava naquelas concorridas caixas de comentários, mas achava aquela dupla e os "comments" algo tão pavoroso e inacreditável que só soltava ohs de espanto por detrás do ecrã, incapaz de lá entrar a mandar vir também. Alguma coisa me dizia que aquilo ia acabar, senão mal, pelo menos de alguma forma inesperada e escandalosa...

Emiéle disse...

Parece-me que 3 meses já foi um record. Nem lhes augurei tanto tempo...Eu sou muito suspeita a dar opinião, porque sou alérgica a qualquer deles, reconhecendo-lhes inteligência. O Vasco é sabido que "tem dias". Mas são mais os dias infelizes do que os felizes... Realmente de vez em quando sai-se com uma muito bem vista, e parece redimir-se, mas na primeira curva despista-se de novo. E a Constança é tão arrogante que mesmo quando concordo com ela, tenho sempre reservas quanto ao tom. Ná, aquilo não eram bichos para aguentar o esforço de um blog!

Manuel Resende disse...

Bem visto

Filipe Moura disse...

Epá já ganhei o dia... Que prazer rever-te, Ana! Um beijinho!