2007/01/23

Páginas da vida emocionam Portugal

Imaginem a seguinte história. Uma bebé nasce e é rejeitada pela sua família, nomeadamente pelo seu pai biológico. É dada para adopção. Cinco anos depois a bebé vê-se envolvida no centro de uma disputa pela sua custódia, já que o pai biológico entretanto mudou de ideias e resolveu reclamar a filha, entretanto adoptada por outra família. Parece-vos que estou a falar do mediatizado caso da Sertã? Sim, mas também estou a falar de Páginas da Vida, a telenovela brasileira da SIC, de que já falei aqui.

3 comentários:

Emiele disse...

Filipe, nós podemos ser uns sentimentais, mas olha que este caso dá realmente volta ao estômago! O jogo daquele advogado que tem manobrado o pai (não acredito que sozinho o homem tivesse ido tão longe!) e a atitude arrogante e prepotente do tribunal, bradam aos céus.
E a miuda no meio daquele carnaval, coitadita.

L. disse...

Olá Filipe,

A verdade é que o bio-pai perfilhou a criança quando esta tinha pouco mais de 1 ano, assim que se confirmou a paternidade.

Ao contrário das telenovelas, a realidade, raras vezes é a preto e branco.

Um abraço,
Luís Caetano

Filipe Moura disse...

Olá a ambos.
Luís, o que mais gosto nas "Páginas da Vida" é que não é, de todo, a preto e branco. Há bons e maus, pois há, mas todos com razões válidas. Hei-de escrever mais sobre esta telenovela.
Obrigado pelos comentários.
Abraços.