2006/11/08

Morena de Angola

Esta era uma daquelas canções que eu aguardava com mais curiosidade. Será que o verso final se mantinha como o original de 1980? Mantinha-se, sim senhor: “Morena bichinha danada, minha camarada do MPLA”. Ah, esse coração encarnado, Chico…
Em resposta a esta canção Caetano Veloso canta em “Língua”: “…e que o Chico Buarque de Holanda nos resgate e – xeque-mate! – explique-nos Luanda!” Luanda continuou por explicar por parte do Chico Buarque. O Chico não muda. E continua muito bom.

1 comentário:

ricardo batista disse...

Pois este final é quase subliminar, pois ele diz emepelá e é assim que escreve a letra. Sinal desse disfarce foi que eu só descobri que a letra era assim muito mais tarde. É essa e Doze anos, que termina E disputando troféu, guerra de pipa no céu, concurso de ... piroca. Sempre pensei que fosse pipoca, mas não.