2006/11/08

Dura na Queda

A melhor canção do recente álbum Carioca, bem emparelhada com Mambembe, em mais um daqueles encaixes que o arranjador Luís Cláudio Ramos descobre.

5 comentários:

ricardo batista disse...

Bem como eu também sou ultra fã do chico buarque e modéstia a parte conheço a sua obra exaustivamente, vou fazer "marcação cerrada" aqui às entradas.
Assim, além de mambebe e dura na queda o medley inicial contou ainda com Voltei a cantar , um samba de Lamertine Babo, de 1939.

Filipe Moura disse...

Olá Ricardo. Muito obrigado pela "marcação cerrada"! Não pretendo comentar individualmente cada uma das canções, embora o resultado final não ande muito final disso... Não incluí o "Voltei a cantar" porque nem dei por ele. Era uma introdução de 30 segundos, quando ainda estava tudo a aplaudir... De resto num show de 34 canções (35, se incluirmos esta) essa e o "Sem Compromisso" eram as únicas que não tinham a assinatura do Chico. Não é qualquer um que tem um repertório assim...
Li o teu blogue e parece-me que não ficaste até ao fim. Então não assististe ao "Sem compromisso/Deixa a menina"?
Ele também dedicou "O Futebol" ao Anderson?

ricardo batista disse...

Olá Filipe. Então eu lá ia sair antes do fim, quando, tal como tu, este foi um momento musical-histórico.
O que estou a ver é que ele fez mais um encore em Lisboa (não é justo!). Não estou a ver qual seja o Sem Compromisso, embora o nome não me seja estranho, e realmente não é dele. O Deixe a menina conheço mas tenho a certeza que ele não tocou. Lembro-me perfeitamenete desta música interpretada por Ney Mato Grosso, que ouvia desde pequeno.

ricardo batista disse...

E dedicou sim ao Anderson depois de Eusébio. Está no meu post.

Filipe Moura disse...

Epá lamento muito que ele não tenha cantado estas duas no Porto. Em Lisboa foi mesmo no fim de tudo, o segundo encore. Olha, podes ver o vídeo do YouTube no meu post de 5 de Novembro...