2006/06/26

Sai um espelho para O Insurgente

Independentemente da razão que possa assistir o André Azevedo Alves no texto do Nuno Ramos de Almeida (que não contextualizou a frase que abre o documentário), a verdade é que tal não passa de um pequeno pormenor. No global, o Nuno Ramos de Almeida tem razão na sua apreciação. Mas o que é mesmo notável são as considerações que se seguem:

E fica como mais um aviso para que nunca se caia no erro de atribuir credibilidade a quem é incapaz de se exprimir num registo não propagandístico.

Ou seja, não se deve atribuir nenhuma credibilidade ao André Azevedo Alves... de acordo com o próprio! Será que ele precisa de um espelho?

3 comentários:

Bajoulo disse...

“Sempre que abandonamos a racionalidade e recorremos ao comunismo para influenciar os homens, o resultado é um homem inferior e mais vulgar.” – Quitéria Barbuda in “Os Eleitos”, Revista “Espírito”, nº 36, 2006.

www.riapa.pt.to

Ricardo Alves disse...

Já muita gente tentou colocar-lhe um espelho à frente, mas quem é treinado na tem certa dificuldade em enxergar-se...

abrunho disse...

Bem apanhado. He he he