2006/06/14

Onde estão?

Este é um tipo de texto que eu não gosto de escrever; não ando aqui para patrulhar ninguém. Mas já que, enquanto estava no Blogue de Esquerda, várias vezes fui "vítima" dele, aqui fica uma pequeníssima dose do remédio para quem o costuma prescrever.

Uma operação militar israelita contra uma praia na Faixa de Gaza provocou ontem a morte de dez civis palestinianos, entre os quais um casal e os seus três filhos. O ataque provocou ainda 30 feridos. Num outro incidente, morreram mais três palestinianos, o que eleva para 14 o número de mortos em ataques israelitas em menos de 24 horas.


E onde estão as condenações por parte dos blogues de direita? Onde estão eles, que não dizem nada? A única reacção que li, apesar de condenar o incidente, tenta legitimá-lo face à reacção do Hamas. Alguém duvida que se os mortos fossem israelitas, ninguém os calava? Não quererá isto dizer que, para os blogues de direita, uma vida israelita vale muito mais do que uma vida palestiniana?

8 comentários:

Nelson disse...

mas eu pensava que isso era um facto aceite à partida, o valor da vida humana flutua em função dos mercados cambiais...

Range-o-dente disse...

Alguns orgãos de comunicação social referem não ter havido qualquer ataque, mas sim o rebentamento de minas (ou de uma - não me recordo) ...

Não é a primeira vez que os palestinianos provocam baixas próprias (isso é coisa que não os apoquenta absolutamente nada) para tentar obter dividendos políticos via comunicação social.

Range-o-dente disse...

Aliás, na Palestina as vítimas são sempre civis, mesmo quando estão armadas até aos dentes.

EUROLIBERAL disse...

SIONISTAS ASSASSINOS MENTEM COM QUANTOS DENTES TÊM NA BOCA ! TAL COMO BUSH...

Até um perito americano considera ser evidente que foi um obus de 155" israelita que causou as mortes.

E nem é preciso ser perito. É evidente que os palestinianos não iam minar praias que utilizam. E se o fizessem para impedir infiltrações nazi-sionistas seria com minas anti-pessoais que só matam ou ferem uma pessoa. Minas anti-carro nesse sítio seria um disparate, porque aí não passam veículos e mesmo que fossem minas anti-carro (que podem efectivamente matar 7 ou mais pessoas), estas não são despoletadas ao serem pisadas por homens.

Apanha-se mais depressa um mentiroso do que um coxo...

"Independent: As the military investigation team insisted that artillery fire had stopped by the time the explosion occurred and suggested it had been caused by a bomb planted in the sand, Amir Peretz, the Defence Minister, declared: " The accumulating evidence proves that this incident was not due to Israeli forces."

But the official interpretation was strongly challenged by a former Pentagon battle damage expert who has surveyed the scene of the beach explosion. He said yesterday that "all the evidence points" to a 155mm Israeli land-based artillery shell as its cause.

Marc Garlasco, who worked in war zones including Iraq and Kosovo during his seven-year stint in the US Department of Defence, called for an independent investigation into the killings after concluding that shell fragments and shrapnel from the site, the size and distribution of the craters on the beach, and the type of injuries sustained by the victims made Israeli shelling easily the likeliest cause.

His assessment came as at least another seven civilians, including two children, as well as two Islamic Jihad militants, were killed in a double Israeli missile strike on a VW van in the densely populated Zeitoun district of Gaza City yesterday. The two children were hit at a nearby house by flying shrapnel and the civilian dead included three medical workers from a nearby children's hospital who rushed to help after hearing the first explosion."

Range-o-dente disse...

É de dar uma olhadela a este link.

http://oinsurgente.blogspot.com/2006/06/pallywood.html

.

Emiéle disse...

É interessante que os comentários que surgem neste post vêm exactamente dar razão ao Filipe.
Até parecem "por encomenda".
A culpa tem sempre de ser dos palestinianos, e se parece não ser é porque há 'manipulação'.
Haja paciência!

Range-o-dente disse...

O que se tem passado, é que os palestinianos têm abusado das "encomendas", com a conivência da generalidade da comunicação social, e tem sido de tal forma que as "encomendas" acabaram rebentando pelas costuras.

As "encomendas" fazem parte da arte da guerra. Mas quem as usa sabe que são um pau de dois bicos: no momento em que são desmascaradas resultam em sentido contrário. Parece ter sido o caso recente do ataque israelita a um carro que por sua vez terá feito disparar um ou mais mísseis transportados nesse carro, misseis esses que, por sua vez, provocaram vítimas civis. Alguns (poucos) orgãos de comunicação social aventaram esta possibilidade como uma hipótese, os restantes veicularas a posição dos palestinianos sem interrogações. Nem um caso nem outro podem ser confirmados independentemente, mas a versão palestiniana é facilmente aceite como verdadeira ...

Pela versão israelita, o ataque israelita terá provocado vítimas somente dentro do carro, sendo as restantes resultantes do disparo dos mísseis transportados nesse carro. A versão palestiniana refere que todos os mortos foram provocados pelos israelitas. Há uma substancial diferença entre versões, mas a palestiniana raramente é posta em causa. Por alma de quem?

Se a este cenário se acrescentarem as histórias absolutamente inventadas pelos palestinianos mas veiculadas sem qualquer hesitação pela comunicação social, percebe-se o descrédito em que os palestinianos vão caindo.

As “encomendas” anteriores aliadas, neste preciso momento, às acçõres em que facções palestinianas claramente se degladiam, vêm tornar clara a alta probabilidade de ausência de escrúpulos em provocar vítimas civis próprias para efeitos de propaganda.

lusitânea disse...

Não liguem ao que o terrorista euroliberal diz pois é um doente radical islâmico á procura do seu destino na fronteira sul do Líbano...