2006/06/21

Os liberais maoístas

Finalmente uma boa resposta por parte da esquerda ao João Miranda, que o obriga a desconversar: a do Daniel Oliveira no Arrastão. Como não poderia deixar de ser, contém uns remoques desnecessários a Jerónimo de Sousa (desde quando é que o Jerónimo é maoísta?). Também continuo sem compreender por que insiste o Daniel, que deveria saber o que é o comunismo, em chamar "comunismo" ao regime chinês, que de comunista não tem nada. Mas no geral a resposta está muito boa. O essencial está nestas frases:

Se a democracia vem, vai-se a competitividade. A China parte-se em bocados, como aconteceu com a ex-União Soviética, os trabalhadores vão querer o seu quinhão de riqueza e salários decentes, a instabilidade política e social será incontrolável e de dimensões completamente novas. O desmembramento da União Soviética será uma brincadeira de crianças ao lado da queda do comunismo chinês. A China interessa às empresas porque é uma ditadura.

3 comentários:

vanessa disse...

Aja alguém que diga que o regime chinês, de comunista, não tem nada!

Filipe Moura disse...

Saber o que é ou não "comunista" é uma discussão com barbas, Vanessa...

Emiéle disse...

Aceitando que o "comunismo" é uma utopia, e nenhum regime o é ou foi, o complicado é que "eles" (chineses) pensam que estão no caminho. Estão cada vez menos, é certo. Também não gosto muito do Daniel meter tudo no mesmo saco - quando fazem isso com ele não gosta nada...