2006/05/15

Assim se vê a idade

Uma directa, no sentido estrito do termo, é passar uma noite em claro e só voltar a dormir na noite a seguir.
Fiz algumas directas na licenciatura, como toda a gente. Quando estava a fazer o meu doutoramento também. Uma delas foi quando estava a preparar um seminário sobre a minha investigação, no meu instituto. Era às 13 horas. Passei a noite toda lá, e como bom português que sou (não deixo os créditos por mãos alheias), estava a imprimir os acetatos às 12:30. Meia hora antes. E dei o seminário com uma directa.
Lembrei-me desse seminário nesta semana que acabou, na qual passei duas noites sem dormir a preparar o seminário que dei na sexta-feira. Mas não fui capaz de aguentar até à noite sem dormir. Em ambos os dias fui deitar-me de manhã, mas tive de dormir umas horas. Ou seja, já não sou capaz de fazer uma directa. Se a isto acrescentarmos que já não deixo a preparação do seminário para a última da hora, assim se vê como me estou a tornar velho e sem graça.

3 comentários:

Filigraana disse...

Olhe que os tempos já não são o que eram. Eu ainda vou no início da licenciatura e ainda não sobrevivi a uma directa sem umas horas de sono... eheheh


Gostei do blogue=)

Filigraana disse...

ops «ainda... ainda...», perdão.

Nelson disse...

Além de velho e sem graça, estás a perder a tua tugosidade, aquela característica fabulosa de usar o último minuto do prazo para acabar as coisas. E se houver um adiamento, usas o último minuto do adiamento. Mais ou menos como o Benfica e o seu hábito de ganhar 1-0 ao minuto 92' Será que te estás a tornar lampião? ;)