2009/01/21

Obamei!


Nunca dei demasiada atenção às campanhas eleitorais dos países onde vivi (exceptuando o referendo europeu em França em 2005). A razão (mesmo para esta excepção) é simples: só me diziam respeito muito indirectamente, por lá viver. Mas eu não votaria, pelo que a campanha não me afectaria. Acompanhava as campanhas somente pelo interesse de ver como se faz política nestes países, e não mais do que isso. Tinha colegas meus que viam discursos, liam livros e panfletos. Nunca me dei muito a esse trabalho.
Só ontem comecei realmente a prestar a atenção devida a Obama, ao ouvi-lo como presidente dos EUA. Agora, sim, o que ele diz diz-me (e muito) respeito. Pode ser uma descoberta tardia, quando comparado com outros blógueres, mas gostei. Fiquei rendido. Que a acção de Obama corresponda à sinceridade e à esperança que emana do seu discurso, é o que eu lhe desejo. Boa sorte, América!
Quanto ao concerto antes da tomada de posse, gostei de ouvir Bono, dos U2, a referir que "In The Name Of Love" é o desejo de israelitas... e palestinianos. Naquele país é preciso coragem para referir os palestinianos. Tivesse-os Bono omitido e ninguém acharia estranho.

Adenda: Leiam o André Abrantes Amaral, num texto com dois anos.