2007/10/23

Os grandes vencedores

Jean Todt soube sempre preservar os pilotos das influências externas. Recusou (e muito bem) terminantemente considerar a contratação de Fernando Alonso. Pelo contrário: disse que a Ferrari estava muito bem servida de pilotos e prolongou o contrato de Filipe Massa. E em corrida a Ferrari voltou a demonstrar uma excelente estratégia. Mas, mais do que isso, agiu como equipa. Jean Todt é um dos maiores vencedores deste campeonato, por demonstrar que não precisava de Michael Schumacher para ser campeão.
Kimi Raikkonen é outro grande vencedor. Finalmente conquistou um título e calou todos aqueles que chegaram a duvidar do seu valor – entre os quais, admito, me incluia. Preferia que fosse um piloto mais dedicado à afinação do carro, como é Alonso e eram Schumacher, Senna e Prost, mas não deixa de ser engraçado ver como campeão um piloto tão politicamente incorrecto, que diz sempre o que pensa e gosta de uma noite de farra e copos.
Falta Filipe Massa, mas os títulos não teriam sido possíveis sem ele. É o melhor segundo piloto que a Ferrari teve em mais de dez anos, e merece sem dúvida voar mais alto. Esperemos que sim.
Parabéns a todos. Para o ano isto vai ser giro...

4 comentários:

P.Fragoso disse...

Depois de tanto tempo sem escrever sobre o tema, tenho que dar os parabéns pela análise. Concordo com quase tudo. Aliás, já o tinha dito em http://fazeranti-jogo.blogspot.pt.
Só acho que o Massa nunca será campeão...;)

Nelson disse...

errrr..... Jean Todt renovou com Massa por saber ver o seu valor? Não será antes porque está contratualmente ligado ao Massa e tem benefícios financeiros pessoais com os contratos do Massa? O mesmo Jean Todt que recusou M. Schumacher para liderar o programa de novos talentos da Ferrari para pôr lá o seu filho? O mesmo Jean Todt que recusou a proposta de Montzemolo para tentar convencer Schumacher a fazer mais uma temporada? O Jean Todt que já se diz que está de malas feitas? Oh please! Acreditas demais no que aparece em frente às câmaras e lês pouco do que se passa por detrás das câmaras. Se a Ferrari ganhou títulos deve-o a Schumacher e a Brawn, o Todt é um oportunista que teve a sorte de ainda estar na Ferrari quando as coisas mudaram.

Quanto ao valor do Kimi, é indiscutível. O homem foi o campeão "moral" 2 ou 3 vezes. É um título que já vem tarde. Curiosamente o primeiro título que o Kimi perdeu foi por causa da famosa "ultrapassagem" de Schumacher a Barrichelo. Desta vez ao menos a Ferrari disfarçou a operação táctica.

Nota: a Ferrari é a únia equipa que tem 2 pilotos com estatutos diferentes. Independentemente de quem tem reais possibilidades de ganhar. Há um heroi, e há um empregado para todo o serviço. Acho que o Felipe Massa merecia mais respeito, tal como o Barrichelo ou o Irvine, mas eles saberão da sua vida. E Barrichelo foi o melhor 2º piloto da Ferrari, não é Massa. Até ver mesmo o Irvine deu mais pela equipa que o Massa, arriscando mesmo uma suspensão de 1 época no caso do famoso break-test de Suzuka para prejudicar Hakinnen (mundial de 99)

Filipe Moura disse...

Olá Nelson.
Muito obrigado pelos teus comentários, que muito prezo. Estás muito mais por dentro do assunto que eu e sabes coisas que eu desconhecia, como essa da ligação contratual do Massa ao Todt. Só uns reparos:
- nada do que tu disseste obsta a considerar-se o Todt um grande vencedor. Reforçou a sua posição e aposto em que não está de saída da Ferrari (chegou a falar-se disso, é verdade);
- o Filipe Massa merecia mais respeito, pois merecia. Por isso o considero o melhor segundo piloto, e acho que merecia voar mais alto. Pelos outros (Irvine e Barrichelo) nunca consegui ter respeito nenhum.

Pedro, muito obrigado! Quanto ao Massa, a ver vamos! Gosto muito dele, e o Kimi para o ano vai correr com outra pressão. Deixou de ser um outsider.

André Abrantes Amaral disse...

Olá Filipe,

Foi bom reviver os bons tempo da F1. Um grande abraço. André.