2007/07/09

Cristo maravilhoso?


Eu não quero de todo aborrecer católicos ou brasileiros, especialmente cariocas. Mas alguém pode explicar-me o que há de maravilhoso nisto, quando comparado com a Acrópole, a Torre Eiffel ou o Kremlin? A imagem é bonita, mas bonita é a cidade. Lindo é o Rio de Janeiro.

8 comentários:

Luis disse...

Concordo plenamente!

(Que Deus me perdoe ...)

Nelson disse...

Pelos vistos há muita gente que discorda de ti. Talvez alguns deles te possam explicar.

Sandra Leite disse...

bom,também concordo com você. Sou brasileira e amo o Rio de Janeiro.
MAs uma pesquisa com apenas 100 milhões de pessoas por internet e celular pode dar credibilidade a esse resultado?
Sem contar que a UNESCO não quis se envolver nesse projeto. Pq será?
A cidade do rio de Janeiro é para mim a grande maravilha!
O Cristo Redentor é bonito também. Sem alardes.

Filipe Moura disse...

Sandra, aqui em Portugal há poucos meses o ditador Salazar foi eleito "o melhor português de sempre" numa pesquisa por internet e celular...
Legal o teu blogue. Eu sou um paulista que nunca esteve em São Paulo. Adoro os cartoons do Angeli.
Um abraço.

Sandra Leite disse...

Que honra a sua visita Filipe! Por vários motivos, mas ser fã do Chico para mim é prova de uma supremacia humana...total..rsrsrs..brincadeita(quase).
Volte lá....gostei tanto do teu blog que coloquei um link do seu no meu..quero que os brasileiros conheçam melhor a cultura portuguesa. Mas nunca o Salazar!...rssrsrsr
abraços,

Moacy Cirne disse...

Nada. O Cristo não se compara sequer a outras maravilhas do próprio Rio. Agora, Salazar ter sido escolhido o "português do século" também é dose...

Sinn-Klyss disse...

Há três olhinhos cândidos e brilhosinhos que nos suscitam cuidado: o olhinho do pombo, o olhinho do cão, e o olhinho do rato. Porque um fica no sótão, outro fica no porão, e outro no meio, dentro da casa. Um vem por sobre nossa cabeça, outro vem por sob nossos pés, e outro por meio de nossas mãos. Dos três as fezes são-nos extremamente nocivas; e por elas nos viciamos sem que tenhamos mínima percepção disso.
Todos os três dissimulam sua proximidade: um se vale de nossa miséria psicológica, outro de nossa miséria social, e outro da nossa miséria emocional.
Estes três estão nos símbolos do submundo da religião, e os “espertos” do mundo tecem profundamente tremendo arrasto conhecendo muito bem o descuido e a fraqueza que temos com a candura dos olhinhos que eles têm.
Numa geração que com muita sorte viermos despontar ficaremos abismados quando virmos como éramos engambelados e escravizados. Sentiremos vergonha, muita vergonha, e isso nos fará não esquecermos nunca do que vivemos.
Tomara, tomara que tenhamos chance.
Haddammann Veron Sinn-Klyss

Maria José Speglich disse...

Na imagem do Cristo não ha nada de interessante, mas no corcovado onde ele fica a imagem é ma-ra-vi-lho-sa.

Caso vc que é de Portugal não conheça, venha para cá.

Beijo!