2009/11/17

A última bettencorada

...chama-se Carlos Carvalhal. Por favor não venham compará-lo com Jorge Jesus ou Jesualdo Ferreira. Estes treinadores chegaram ao Benfica e ao FC Porto na mó de cima, depois de terem feito excelentes trabalhos nos clubes por onde tinham passado antes. Ao contrário de Carvalhal, a cuja contratação eu talvez não pusesse tantas objecções há dois anos, mas que nesse período esteve dois meses num clube grego que ninguém conhece, onde não fez nada nem deixou saudades, e no Marítimo, onde ganhou dois dos 17 jogos que orientou. Carvalhal é um treinador à procura de relançar a carreira e, sem ofensa para o Marítimo, o Sporting não pode servir para relançar a carreira de alguém após uma passagem fracassada por este clube. Talvez sirva para relançar a carreira de quem treinou o Chelsea ou o Barcelona, mas não o Marítimo ou um clube grego que ninguém conhece. É isto que Bettencourt, o homem que, nas costas de Fernando Santos, foi contratar José Peseiro (após uma passagem desastrosa pelo Real Madrid), não percebe. Nem sempre concordo com tudo o que o Leão da Estrela escreve, mas admito que este é um sintoma de belenização.

1 comentário:

Rufino Fino Filho disse...

http://batemtodos.blogspot.com/2009/11/um-blog-censura-pela-camara-municipal.html